Passar para o conteúdo principal
Acidente Biológico

Aprenda a realizar o controle e monitoramento de acidentes biológicos no Quírons

Daniela Marioti avatar
Escrito por Daniela Marioti
Atualizado há mais de uma semana

Por definição, acidente biológico é toda ocorrência que envolve contato com sangue ou outros tipos de fluídos orgânicos, durante o desenvolvimento das atividades laborais, em local de exposição dos trabalhadores a materiais biológicos, potencialmente contaminados.

Para controle e monitoramento de acidentes relacionados a fatores biológicos, o Quírons permite que sejam programados exames necessários para a análise dessa exposição, bem como controle das periodicidades de intervalos da realização desses exames.

Cadastro e Gerenciamento do Monitoramento Biológico

O cadastro do acidente com monitoramento biológico deve ser realizado em duas etapas, cadastro da ocorrência e lançamento do monitoramento biológico.

  1. Cadastro da Ocorrência


    O cadastro da ocorrência é o primeiro passo para o lançamento do monitoramento e deve ser realizado a partir da tela de Ocorrências. Para que a necessidade seja gerada, o acidente deve ter o campo Tipo de acidente preenchido com a informação: 200080901 - Contato com pessoas doentes ou material infecto-contagiante - agentes biológicos.



  2. Lançamento do Monitoramento Biológico

    Após cadastrada a ocorrência, o monitoramento será gerado para preenchimento no prontuário da vítima, onde o lançamento das informações correspondentes deverão ser preenchidas pela equipe de saúde.


    Clique no registro do monitoramento para realizar o lançamento das informações.

    Monitoramento Biológico

    No cadastro de monitoramento biológico devem ser preenchidas as seguintes informações:

    • Grupo de exames de monitoramento: deve ser selecionado o registro de grupo de exames necessários para o monitoramento.

    • Fonte do material: deve ser selecionado o registro de pessoa relacionado como fonte do material que causou exposição a vítima.

    • Tipo de exposição: no campo deve ser informado o tipo de exposição envolvendo o material biológico considerado de risco, podendo ser:

      • Percutânea: relacionado à ocorrência de lesões causadas por instrumentos perfurantes e/ou cortantes (agulhas, facas, facões, bisturi, entre outros).

      • Mucosa (oral/ocular): ocasionadas pelo contato da mucosa (nariz, olhos, boca ou genitália) com fluídos com potencial contaminação.

      • Pele integra: contato com material biológico em pele sem ferimentos ou lesões.

      • Pele não integra: contato com locais onde a pele apresente dermatite, feridas abertas e mordeduras, com envolvimento de presença de sangue.

      • Outros: deve ser utilizado quando nenhuma das opções anteriores corresponderem ao tipo de exposição.

    • Tipo complementar: em casos onde o tipo de exposição for selecionado com a opção Outros, o campo tipo complementar será habilitado para detalhamento do tipo de exposição;

    • Material orgânico: deve ser selecionado o tipo de material biológico em contato com a vítima.

    • Material complementar: para seleção do campo tipo orgânico como Outros, o campo será habilitado para detalhamento do material complementar orgânico.

    • Circunstância do acidente: deverá ser informado o procedimento executado ao qual ocasionou o contato com o material biológico.

    • Agente do acidente biológico: informação do instrumento relacionado ao contato com o material biológico.

    • Condução do acidente biológico: deve ser informado o tipo de condução aderido para o monitoramento da exposição.

    • Condução complementar: para seleção do campo condução do acidente biológico como Outros, o campo será habilitado para detalhamento do tipo de condução complementar correspondente ao monitoramento.

    • Médico responsável: o campo apresentará os registros de usuários médicos, responsáveis pelos atendimentos na filial.

Exames Necessários

Após o preenchimento das informações relacionadas a ocorrência e monitoramento biológico, os exames vínculados ao grupo de exames, serão gerados como necessários na agenda médica, tanto para o colaborador vínculado como vítima, quanto para a pessoa registrada como Fonte do material, caso a mesma possua prontuário na filial.

O atendimento da consulta estará disponível para o médico registrado como responsável, durante o cadastro do monitoramento biológico. Para o lançamentos dos resultados basta selecionar a consulta desejada, adicionar os resultados dos exames complementares e em seguida efetuar o atendimento da consulta principal.

Importante!

Os exames programados terão sempre a primeira consulta agendada para a data da ocorrência e as demais periodicidades de acordo com o informado como intervalo dos exames, no cadastro de Grupo de Exames. Em caso de primeiro atendimento da fonte com todos os resultados normais, as demais necessidades de consultas não serão geradas.

Relatórios

  • Protocolo de Acompanhamento e Relatório SINAN

Ainda no cadastro de monitoramento, dentro do prontuário da vítima, estarão disponíveis a impressão dos relatórios de Protocolo de acompanhamento do monitoramento biológico, Relatório de monitoramento biológico SINAN e Relatório de Alta de Monitoramento Biológico.

Para realizar a impressão navegue até o prontuário da vítima, percorra a tela até o modal de Monitoramento Biológico, passe o cursor do mouse sobre o registro e selecione o ícone de impressora, localizado direita da cadastro:

Clique sobre o relatório desejado para efetuar a impressão.

  • Acompanhamento do Monitoramento Biológico

Ainda sobre o controle, o sistema disponibiliza de um relatório para acompanhamento e monitoramento, apresentando a listagem de todos os exames previstos e realizados em um determinado período.

Para exportação do relatório acesse a tela de ocorrências, selecione o ícone de três pontinhos, localizado na parte superior direita da tela e clique sobre a opção Relatório de acompanhamento do monitoramento biológico.

O relatório será enviado para o e-mail do usuário logado.

Conteúdos relacionados:

Respondeu à sua pergunta?